Comunicação
Correio Popular: Monkeypox avança na região de Campinas e soma 38 casos
Na mídia

Correio Popular: Monkeypox avança na região de Campinas e soma 38 casos

11.08.2022

Ronnie Romanini


A Secretaria Estadual de Saúde contabiliza 38 casos de monkeypox na Região Metropolitana de Campinas (RMC). Nos últimos dias, o Estado acrescentou mais sete na cidade de Campinas, totalizando 27. De acordo com os números estaduais, Campinas é a sexta cidade com mais casos em São Paulo, atrás apenas da capital (1.372), Santo André (34), Guarulhos (27), São Bernardo do Campo (26) e Osasco (25), todas cidades da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). Além dos novos registros em Campinas, o estado confirmou mais um em Jaguariúna, que agora tem dois casos de monkeypox.


(...)


Diante do avanço dos casos, o Ministério da Saúde lançou o Plano de Contingência Nacional para Monkeypox, elaborado pelo Centro de Operações de Emergência (COE). Nele, a monkeypox está classificada como nível de emergência III em uma escala que vai de I a III. Este nível é estabelecido quando há transmissão comunitária de casos, quando os insumos para tratamento e prevenção não estão disponíveis e o impacto sobre o sistema de saúde exige ampla resposta governamental. O Plano de Contingência ainda afirma que os grupos vulneráveis para a doença são o de pessoas imunossuprimidas, crianças e gestantes.


Perguntas e respostas


O Instituto Todos pela Saúde (ITpS) elaborou um material com 50 perguntas e respostas sobre a doença. As respostas são referentes aos seguintes temas: vírus, transmissão, diagnóstico, sintomas, pacientes, tratamento e como evitar a contaminação.


Uma das explicações é a origem do nome "monkeypox". A primeira vez que o vírus foi identificado foi em 1958, em macacos que eram mantidos em um laboratório dinamarquês. A escolha do nome deriva da descoberta, mas atualmente o vírus é mais comumente encontrado e transmitido por roedores.


As 50 perguntas foram respondidas e revisadas por quatro especialistas ligados ao Instituto: a médica imunologista Ester Sabino, o virologista Anderson Brito, o médico imunologista Jorge Kalil e o epidemiologista Vanderson Sampaio. Todas as perguntas e respostas elaboradas pela equipe do ITpS estão disponíveis no QR Code.


Conteúdo disponível para assinantes do Correio Popular (clique aqui)

Instituto Todos pela Saúde (ITpS) Av. Paulista, 1.938 – 16º andar
São Paulo - SP – 01310-942